Faltou a “estrelinha da sorte”, em Sever do Vouga

A equipa da NelaSport, através do seu piloto, Alexandre Borges, marcou presença na 3ª ronda do Campeonato de Portugal de Kartcross, que teve como cenário, a pista do Alto do Rosário, na Capital do Mirtilo. Temperatura e máquinas em alta, foram os condimentos, de mais um fim de semana carregado de adrenalina, em Sever do Vouga.
Depois de Mação, a equipa encontrava-se motivada, para conseguir colher novamente um bom resultado. O dia de sábado, terminou com um 8º lugar da geral, após os treinos cronometrados e a 1ª corrida de qualificação, com alguns cronos bastante interessantes e a escassos 6,7 segundos da liderança, o que perspetivava uma luta interessante para o dia seguinte.
No domingo, as tão desejadas temperaturas de verão, marcaram presença e a 2ª corrida de qualificação estava a decorrer de feição, até ao furo na última volta, contratempo este, que ainda permitiu registar o 8º tempo da geral. Para a 3ª e última corrida de qualificação da série B, a determinação estava em alta e um bom arranque, permitiu alcançar ainda a meio da primeira volta, o 2º lugar, logo atrás do atual campeão nacional. O ritmo imposto e uma condução sem erros, manteve a perseguição ao líder, até à penúltima curva da 6ª e última volta, momento em que ocorre o inexplicável. Uma tentativa forçada de ultrapassagem, levada a cabo pelo concorrente que seguia em 3º lugar, o qual subiu e voou literalmente, por cima do Alexandre Borges, empurrou o kartcross para fora de pista e que teve como consequência, a queda para os últimos lugares da Q3. Foi um ato irrefletido, ou talvez não, que deitou por terra todo o esforço da equipa. Fica desta Q3, o bom ritmo imposto e o 3º melhor tempo por volta, com a entrada no segundo 35, apenas alcançado por 4 dos 16 pilotos em prova.

Ler mais»

Alexandre Borges determinado para Sever do Vouga

Foto: Paulo Pinto

A capital do Mirtilo, será o palco da 3ª ronda do Campeonato de Portugal de Kartcross, agendada para os próximos dias 16 e 17 de junho, na pista do Alto do Rosário, em Sever do Vouga.
A equipa da NelaSport, que na presente época abraçou este Campeonato, marcará presença através do seu piloto, Alexandre Borges, ao volante de um Semog Bravo.
O 4º lugar alcançado em Mação, é um bom indicador da evolução deste jovem piloto nelense e um fator de motivação para toda a equipa, que naturalmente, espera poder alcançar um bom resultado nesta próxima prova.
“Esta pista, tem um traçado que me agrada bastante e da qual tenho boas recordações da Taça de Portugal de 2017, onde consegui o 4º lugar na final, por isso, espero estar ao meu melhor nível, para continuar a evoluir nesta modalidade tão competitiva e tentar conquistar novamente uma boa classificação final, apesar de reconhecer que não é tarefa fácil, face a uma concorrência de pilotos bastante rápidos e experientes”, afirmou Alexandre Borges. Concentração e determinação, são as palavras-chave para esta prova.

Ler mais»

NelaSport e a malapata no Rally Vinho do Dão

Foto: Paulo Pinto

Ainda não foi desta que a equipa nelense quebrou a malapata, no Rally Vinho do Dão. Depois de um início com algumas cautelas, face ao incidente na edição de 2017, a dupla da NelaSport, Luis Borges / José Figueiredo, começou paulatinamente a melhorar os seus cronos no decurso da Prova e a subir na tabela classificativa, no entanto, a meio da penúltima especial de classificação, um componente do triângulo de direção cedeu e deitou por terra as aspirações da equipa, que assim se viu forçada a desistir.
“Apesar do incidente na edição anterior do Rally Vinho do Dão, já estar ultrapassado, o nosso subconsciente “obrigou-nos” a começar com uma toada mais cautelosa, para evitar cometer qualquer erro que pudesse comprometer os nossos objetivos, contudo, e numa fase que estávamos em franca recuperação, em termos de ritmo competitivo e a melhorar os nossos tempos, a “estrelinha da sorte” não esteve mais uma vez, do nosso lado e sensivelmente a meio da PEC 7, Santar/Vinhas do Dão 2, notei uma pancada forte e fiquei sem qualquer estabilidade na direção. Suspeitei logo que poderia ser um dos componentes do triângulo de direção que tivesse partido, o que infelizmente se veio a confirmar, quando chegámos ao final da especial e nos obrigou a tomar a difícil decisão de entregar a carta de controlo e desistir”, afirmou com alguma mágoa, Luis Borges, que deixou ainda uma palavra de agradecimento, a todos os patrocinadores, amigos e conterrâneos, que foram incansáveis a puxar pela equipa, ao longo de todo o Rally.

Ler mais»

NelaSport regressa no Rally Vinho do Dão

 

Depois de uma paragem de sensivelmente um ano, a equipa nelense, Luis Borges /José Figueiredo, regressa novamente à competição, já nos próximos dias 26 e 27 de maio, para a edição 2018, do Rally Vinho do Dão, em Nelas.
Apesar da falta de ritmo competitivo, inerente a uma paragem tão prolongada, a equipa da NelaSport vai contar com o fator casa, para procurar lutar pela vitória na sua classe (até 1600 cm³) e por um lugar dentro do “top ten”, apesar da forte concorrência que se avizinha, nomeadamente o “batalhão” 4×4, do desafio Kumho.
Novamente ao volante do seu Saxo Cup, esta dupla ambiciona um bom resultado na “sua” Prova, tal como afirma Luis Borges, “o interregno na competição, desde a edição de 2017, não nos vai permitir estar ao nível que desejaríamos, no entanto e como é nosso apanágio, vamos dar o nosso melhor, ambicionando o pódio na nossa classe, dignificando o nome da equipa e do nosso Concelho. O apoio dos nossos conterrâneos ao longo das classificativas, serão certamente uma motivação extra, para um bom resultado”.

Ler mais»

Alexandre Borges arrebata o 4º lugar em Mação

Foto: News Motor Sports

 

Depois de Lousada, Mação foi o palco da segunda prova do Campeonato de Portugal de Kartcross, onde a já “habitual” carambola da primeira curva, voltou a fazer estragos entre alguns dos pilotos. Quem não vacilou na Final, foi o piloto da NelaSport, realizando um bom arranque, apesar da posição desfavorável na grelha de partida e desta vez, a conseguir passar “entre os pingos da chuva”, praticamente impune, dos “inevitáveis” toques no final da reta da meta, voando de 13º para 6º da geral. Com um ritmo bastante consistente e forçando o andamento ao longo das oito voltas à Pista da Boavista, escolheu o momento certeiro para passar pela Joker Lap e agarrar definitivamente o 4º lugar da geral, que não largaria até à bandeira de xadrez.

Ler mais»